A Chegada
23 de dezembro de 2015
Perdão, Neurociência e Coaching
4 de janeiro de 2016

Ano novo, vida nova! De verdade!

Chega de fazer promessas em vão. No ano que vem, concentre-se nas pequenas coisas que você realmente pode fazer para tornar sua vida melhor.

Estamos nos aproximando da virada do ano. Nessa época, é inevitável fazer um balanço de tudo o que aconteceu ao longo dos últimos doze meses. Isso costuma provocar sentimentos contraditórios nas pessoas: ao mesmo tempo em que se lamentam pelas coisas que deram errado, imaginam que no próximo ano tudo será diferente. Muitos aproveitam para fazer resoluções e promessas, na esperança de ter uma vida melhor.

Mas, depois de um tempo, os planos são esquecidos e tudo continua a ser como antes. A felicidade volta a ser um sonho inalcançável. O que acontece, em muitos casos, é que as decisões pedem mudanças muitos drásticas de comportamento e as pessoas não encontram motivação para segui-las. Outras são exigentes demais e acreditam que serão felizes apenas se ganharem muito dinheiro, se conseguirem ter um corpo deslumbrante ou se encontrarem o parceiro perfeito – e quando isso não acontece, sentem-se extremamente frustradas.

Com certeza isso já aconteceu com você! É importante ter em mente que a felicidade pode ser encontrada em pequenos gestos e atitudes que tenham um significado importante para você e para as pessoas ao seu redor. São ações simples e realistas, mas que interferem de forma positiva no seu bem estar e, ao mesmo tempo, ajudam a construir valores fundamentais para toda a sociedade, já que pessoas felizes são mais sociáveis, flexíveis e dispostas a ajudar o outro.

Abaixo, você encontra uma lista com algumas resoluções que consideramos significativas. Algumas podem se encaixar na sua vida, outras não. O importante é que você não fique apenas sonhando com uma vida melhor, mas coloque em prática ações que contribuam, de fato, para alcançar esse objetivo. Você deve incluir também seus projetos pessoais e lutar por eles, mas sem deixar que expectativas muito altas atrapalhem suas conquistas. Vamos lá?

  • Em primeiro lugar, lembre-se sempre de que felicidade não é algo que “cai do céu”, não depende de sorte, oportunidade ou de eventos externos. Felicidade é algo que se aprende a cultivar. Depende de você, da sua disposição para encontrar satisfação no dia-a-dia.
  • Organize sua vida! No trabalho, descarte papéis usados, canetas quebradas e materiais que você não vai mais usar. Em casa, separe as roupas que não servem mais, os brinquedos que as crianças nem lembram que existem, as revistas velhas e todas as coisas que apenas ocupam espaço e contribuem para a bagunça – e doe tudo isso para quem precisa. Em um ambiente organizado, você consegue se concentrar melhor nas suas tarefas e economiza tempo
  • Sorria, seja simpático e educado com todas as pessoas. Diga sempre por favor e obrigado. Não é bom quando você recebe um “bom dia” cheio de energia de alguém? Então, faça o mesmo pelos outros!
  • Não fique se lamentando pelas coisas que você poderia ter feito ou que não deveria ter feito. Não se pode voltar no tempo nem mudar o passado. Da mesma forma, não fique angustiado pensando no que pode acontecer no futuro. Deixe para resolver os problemas quando, ou melhor, se eles realmente aparecerem.
  • Lembre-se de que você não precisa ser uma Gisele Bündchen ou um Brad Pitt para ser bonito. Cuide da sua saúde, seja vaidoso, mas não seja escravo dos padrões. Invista na sua autoestima. Quantas vezes você viu uma pessoa que não é fisicamente atraente, mas tem charme e exerce um fascínio que você não consegue explicar de onde vem? Isso se chama autoconfiança.
  • Divida seus projetos em etapas e estabeleça datas para a conclusão de cada etapa. Toda meta fica mais fácil de ser cumprida aos pouquinhos, e os prazos servem como estímulo. No final do ano, mesmo que você não tenha terminado tudo, pelo menos ficará feliz por ter avançado em seu propósito.
  • Demonstre carinho por quem você gosta. Beije, abrace, escreva recadinhos, receba essas pessoas com um sorriso e palavras doces. Demonstre interesse pela vida delas, converse bastante, elogie. Na correria do dia-a-dia, geralmente não sobra espaço para essas manifestações, que são muito importantes para criar cumplicidade, afinidade e confiança.
  • Se você tem um grande problema e não consegue lidar com ele, se deseja mudar algo em sua vida, em seu comportamento, e não tem coragem ou não sabe como fazer isso, procure a ajuda de um psicólogo. Não é errado ter fraquezas e dificuldades, ninguém é obrigado a ser “super-herói” o tempo todo. Admitir a ajuda de outras pessoas já é um grande passo para a superação dos problemas.
  • Dê valor ao seu companheiro (a). Depois de um tempo, muitos relacionamentos acabam permeados por falta de atenção, cobranças excessivas e brigas. Procure sempre olhar as qualidades dele(a), tratando-o (a) com respeito e carinho, e evitando atritos desnecessários.
  • Não deixe o estresse, a irritação e o mau-humor dominarem a sua vida. Descubra maneiras de driblar esses sentimentos negativos. Trabalhos manuais, massagem e atividade física funcionam bem para algumas pessoas. Mas o fundamental mesmo é encarar a vida com leveza, sem dar valor excessivo ao lado ruim das coisas.
  • Não vá dormir sentido raiva ou mágoa. Se alguém fez alguma coisa que te deixou chateado, converse com essa pessoa e resolva o problema o quanto antes, com calma. Guardar sentimentos ruins serve apenas para aumentar o problema e nos deixar infelizes por mais tempo.
  • Seja compreensivo e tolerante com todos a sua volta. Cada um é diferente e tem sua própria história de vida. Isso significa que uma pessoa não necessariamente irá tomar as mesmas decisões ou se comportar da forma que você faria no lugar dela. Aprenda a conviver e a respeitar todos, sem fazer julgamentos.
  • Não peça para o seu filho atender ao telefone e dizer que você não está – nenhuma mentira é “inocente”. Não o incentive a furar uma fila já que “ninguém está olhando”. Não faça chantagem ou ofereça vantagens para que seu filho faça o que você quer. Ajude a formar cidadãos éticos, honestos e verdadeiros. Isso lhe dará a tranquilidade de saber que você está fazendo o que é certo.
  • Comece a fazer trabalho voluntário ou faça parte de uma ONG com a qual você se identifique. Se você não tem tempo, procure apoiar os projetos de alguma forma. Doe roupas, cestas básicas, brinquedos e remédios a entidades conhecidas no seu bairro.
  • Recicle seu lixo. Em alguns bairros, as prefeituras recolhem lixo reciclável. Se isso não acontece onde você mora, ligue para a prefeitura de sua cidade e pergunte sobre a possibilidade de obter esse serviço ou então leve o lixo aos postos de coleta ou a entidades que utilizam esse tipo de material. Ajude a preservar os recursos naturais!
  • Tenha sempre em casa vasos de plantas e flores, que deixam o ambiente colorido e cheio de vida.

 

Carla Oliveira

Comentários

Produzido por: SdMídia.com.br