Ansiedade

Ansiedade

- em Pastoral
456
0

Todo distúrbio psicológico tem sua origem nos pensamentos; e não é diferente com a ansiedade.

São os padrões de pensamentos que determinam as emoções e sentimentos – sejam eles de pânico, ansiedade, depressivos etc.

Os padrões são determinados por aquilo que alimentamos nossa mente. O livro ‘O Desejado de Todas as Nações” afirma que “somos transformados pela contemplação” pag.444. Ou seja aquilo que colocamos diante de nossos sentidos acaba moldando os nossos pensamentos.

Muito da ansiedade que se sofre hoje em dia é resultado do estilo de vida que colocamos diante de nós mesmos. O alto padrão de ostentação, vaidade, consumismo e materialismo, acaba produzindo uma ansiosa atitude.

Jesus já havia antecipado – “Não andeis ansiosos quanto à vossa vida pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; ou quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir” Mateus 6.25

E há muito pelo que havemos de ficar ansiosos hoje em dia. Foram até mesmo criadas ansiedades virtuais nas redes sociais – o que vão comentar da minha foto? quantas curtidas vou receber?

Há ainda os padrões ilusórios. Os filmes, novelas e revistas, criam padrões ilusórios sobre relacionamentos, auto-imagem, aparência, estilo de vida etc; e tentamos alcançar aquele nível ilusório. Nos decepcionamos e ficamos depressivos ou ansiosos.

Outro padrão que impomos sobre nós mesmos é a opinião das pessoas. Talvez esse seja o maior e mais pesado peso que colocamos sobre nós mesmos.

Nos importamos o que vão pensar se eu estiver andando com determinada roupa, ou com determinado carro; nos preocupamos com a opinião das pessoas sobre tudo em nossa vida. Isso gera um ciclo de ansiedade tremendo.

A situação se agrava quando as pessoas as quais tentamos preencher as expectativas são nossos parentes mais próximos. As vezes queremos satisfazer os sonhos dos pais, parentes e amigos. E como não é aquilo que sonhamos, isso nos frustra.

Pais são os responsáveis por muito de ansiedade em filhos. As vezes colocam ideais que não são os que os filhos querem, ou que eles próprios [os pais] sonharam para si mesmos, e querem realizar nos filhos. Isso gera ansiedade. É como viver a vida de outro.

Na ansiedade é preciso haver libertação. Sejam ser liberto dos padrões deste mundo ou dos padrões impostos sobre as outras pessoas.

O conselho bíblico é – “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e pela súplica, com ação de graças” Filipenses 4.6

Conselho do pastor – Liberte-se daquilo que lhe tem deixado ansioso. Se você não conseguiu identificar a fonte de sua ansiedade, procure um conselheiro cristão, ou terapeuta cristão. O antídoto para a ansiedade é a personalidade. Assuma sua vida e não deixe que os outros façam o roteiro de como você deve viver. Viver a vida dos outros, os modismos, e os padrões mundanos é viver sem personalidade.

 

Ivair Augusto Costa – Bioquímico, Teólogo, amigo e colaborador do Cada Dia.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Viva a terceira idade!

  Estamos vivendo mais, então é melhor cuidar