Analista de Sistemas
4 de outubro de 2017
As referências de nossos filhos
4 de outubro de 2017

Casinha de cachorro à prova de som

Oi gente!

A maioria dos cachorros que eu conheço morrem de medo de fogos de artifício. Até mesmo o Patrik (pet da minha sogrinha) que é todo metido a valentão sofre quando ouve aquela barulheira. Por lá, quando tem jogo de futebol importante ou é época das festas de final de ano, minha sogrinha facilita a vida da bicharada dando um calmante canino que pode ser comprado em qualquer clínica veterinária de confiança.

Esta é uma ótima saída! Porém, a inventora britânica Natalie Ellis, da empresa Prestige Pets, teve uma outra ideia: criou uma casinha de cachorro à prova de som. É isso mesmo! As paredes são à prova de som e a porta é feita com três camadas de policarbonato, o que barra o som também. (Confira vídeo no final da postagem)

Para solucionar a questão da falta de ventilação, Ellis criou um sensor que ativa o sistema de ventilação assim que o cachorro entra na casinha. Um luxo só! O único problema é o preço: 500 libras ou mais de R$ 2.000,00

Se você é como eu e não tem condições de gastar um dinheirão desse com o seu cãozinho, aí vão mais algumas dicas que eu tirei do Canina Blog.

A PRIMEIRA lição é: nunca punir seu cão, mesmo se ele fizer aquele xixi no tapete. Tão pouco tente confortar ou proteger demais o bicho, como dar colo, por exemplo. Isto porque as duas atitudes acabam estimulando o seu cachorro a manter esse tipo de comportamento e fobia.

O TRATAMENTO – O comportamento mais correto é tentar desviar a atenção do seu cachorro com aquelas brincadeiras que ele mais curte. Além disso, tente providenciar algum local em que ele se sinta seguro, como um armário ou debaixo da sua cama. Se ele ainda assim mostrar medo e falta de vontade de brincar, talvez seja necessário um tratamento mais intenso.

GRAVE o som de fogos de artifício ou trovão e coloque para tocar em um volume baixo. Enquanto isso, confira a reação do seu bicho e tente distrai-lo com brincadeiras. Aos poucos e de tempos em tempos, vá aumentando o volume. Se ele voltar a mostrar medo, tente mais tarde. Dependendo do trauma do seu bicho, o processo pode ser longo e requerer uma dose extra de paciência. Mas, no final, o cão irá conviver bem melhor com o barulho dos fogos de artifício – e você com seu vizinho fã de futebol e festeiro.

Confira a reportagem da BBC Brasil:

Comentários

Produzido por: SdMídia.com.br