Tudo por um peixe fresco…
25 de outubro de 2017
Iniciativa e Acabativa
25 de outubro de 2017

Chaves perdidas

“Alegrem-secomigo, poisencontrei minha moeda* *perdida. Lucas 15:9”

Tenho três chaves pequenas, duas das quais são dos armários do meu local de trabalho, e a última é para destravar o “carrinho de compras” do prédio onde moro. Como eu costumava me esquecer constantemente onde as havia deixado, decidi juntá-las com as chaves do automóvel.

Algum tempo depois, decidi separá-las das chaves do carro e as prendi a um chaveiro em forma de coração.
Na sexta-feira, quando precisei de uma chave para abrir os armários trancados no meu escritório, percebi que o chaveiro em forma de coração não estava na bolsa.Olhei dentro do carro, nos bolsos do meu casaco, mas não o encontrei.

Lembrei-me de que poderia tê-lo esquecido no hospital, onde havia trabalhado dois dias antes. Pedi a Deus que me ajudasse a reaver minhas chaves. Na semana seguinte, quando voltei ao hospital, perguntei aos colegas se tinham visto minhas chaves.

Sem ter certeza de que as havia deixado lá, perguntei para duas enfermeiras se encontraram as chaves. Uma delas me disse que uma médica havia encontrado e levado consigo. Por fim, consegui as três chaves de volta e, com elas, aprendi três lições.

A primeira é que devemos cuidar daquilo que tem valor para nós, como nossos filhos. Com frequência, percebemos que perdemos nossos filhos para este mundo, mas somente quando é tarde demais. Transcorreram dois dias até que eu percebesse que havia perdido as chaves. Até então, eu tinha certeza de que estavam na bolsa.

Nossos filhos podem, inclusive, ir à igreja conosco, mas devemos orar pedindo que eles desenvolvam um relacionamento genuíno com Deus. Caso contrário, quando menos esperamos, descobrimos que estão perdidos assim como as minhas chaves estavam.

A segunda lição que aprendi é que Deus nunca desiste de nós. Eu poderia ter mandado fazer chaves novas e me esquecido das perdidas, em vez de ter a esperança de encontrar as chaves originais.

De modo semelhante, Deus – após a entrada do pecado no jardim do Éden – poderia ter nos destruído e feito novas criaturas. No entanto, Ele não desistiu e enviou Seu único Filho para “nos encontrar”.

E, finalmente, a terceira lição que aprendi é que também não devemos desistir de nossos vizinhos.

Devemos perseverar em oração por aqueles que estão perdidos, porque um dia os filhos pródigos retornarão para os braços do Pai. Muito obrigada, meu Deus, pelas chavese as lições que me ensinaste por meio delas!

 

Adriza Santos Silva Barbosa
Meditação da Mulher

Comentários

Produzido por: SdMídia.com.br