O certo e o errado na cozinha – Eliminando bactérias

O certo e o errado na cozinha – Eliminando bactérias

- em Boa dica
898
1

Em evento promovido pelo Infoglobo O Doutor Bactéria do “Fantástico” – Roberto Martins Figueiredo, a médica veterinária, sanitarista e mestre em higiene dos alimentos Rinaldini Tancredi,  e o médico VíctorBerbara, superintendente de Vigilância Sanitária da Secretaria estadual de Saúde. Falaram sobre os perigos que rondam nossos lares. Confira os melhores momentos.

  • LAVAR A CARNE

Carne vermelha e de frango não devem ser lavadas. “Se você lavar a carne, aumenta a umidade, aumenta a contaminação, respinga tudo e espalha contaminação pela sua cozinha toda por que aí entra uma bacteriazinha, a Cabeça duridis que é a cabeça dura que a população tem que, mewsmom sabendo que o jeito é errado, teima em fazer”, diz o Dr. Bactéria.

  • MADEIRA

A madeira deve ser banida da cozinha. Nada de tábua de carne, colher de pau ou qualquer outro utensílio feito de madeira, pois absorve a sujeira e retém os germes.

  • TÁBUA DE CARNE

Só de plástico e, mesmo assim, deve ser trocada por uma nova com freqüência. “Essas tábuas de plásticos não são hereditárias, porque tem gente que passa de pai pra filho”, alerta o Dr. Bactéria.

  • PANELAS

As panelas de alumínio não devem ser areadas por dentro com palha de aço, pois desprendem partículas do material de que são feitas (alumínio, ferro). Essas partículas acabam se misturando à comida e sendo absorvidas, fazendo mal à saúde. “Tem um pessoal em São Paulo que fez um livro e diz que isso está totalmente envolvido com Alzheimer e Parkinson”, afirma o Dr. Bactéria. Segundo ele, cozinhar em panela de ferro para evitar anemia é lenda: “O ferro ferroso não é absorvido. Sai todo nas fezes. Você pode pegar um imã e arrastar o cocô. Não sei por que faria isso, mas pode”.

  • FRUTAS

“ Lugar de fruta não é na fruteira”, diz o Dr. Bactéria. Apenas banana pode ficar fora da geladeira.

  • LAVAR OS VEGETAIS

Frutas e verduras devem ser postas na geladeira do jeito que chegam do mercado e lavadas somente depois de refrigeradas. Isso porque, assim como as flores murchas, ao serem lavadas à temperatura ambiente irão absorver a água com suas impurezas. A refrigeração reduz essa absorção. Nunca use detergente para lavar frutas ou verduras.

  • CLORO

“Para lavar frutas e verduras, o indicado é usar cloro específico para alimentos, encontrado no mercado, e preparar a água para o molho nas medidas indicadas pelo fabricante. Cloro ou água sanitária engarrafadas em fundo de quintal nunca devem ser usados, nem os produtos com perfumes ou com alvejante” diz Rnaldini. Depois, enxágüe em água corrente.

  • ESPONJA DE COZINHA

A esponja retém resíduos de alimentos e, por estar sempre molhada, é o ambiente ideal para a proliferação de bactérias. O tempo para substituição depende muito do uso, mas o ideal, em residências, é trocá-la toda semana.

  • OVOS

Lugar de ovo é dentro e não na porta da geladeira, e, segundo Rinaldini, pode ser guardado por três a seis semanas no máximo. Fora da geladeira, 15 dias. O que é guardado na porta está mais sujeito a receber calor toda vez que a geladeira é aberta. Essa troca de temperaturas pode fazer com que o ovo estrague. Rachadura na casca é sinal de que o ovo não está bom. Nunca coma ovo cru.

  • GELADEIRA

O que pode guardar na porta da geladeira: ketchup, mostarda, molho shoyo, vinagre ­­– sim, vinagre tem que ficar na geladeira. “Porta de geladeira não é lugar paa metade de tomate, metade de cebola, supercola, nem potinhos de exame de fezes”, alerta o Dr. Bactéria.

  • ALIMENTO PERECÍVEL

O máximo de tempo que a comida pode ficar sem refrigeração é duas horas, ou há risco de se deteriorar. Colocar alimento quente na geladeira não estraga o eletrodoméstico. Mas os potes devem ser colocados destampados. Depois de duas horas tampe-os.

  • REAQUECIMENTO

Feijão e outros alimentos guardados na geladeira devem ser totalmente aquecidos – e fervidos – quando forem ser servidos, diz Rinaldini.

  • LEITE

Nunca beba leite cru, “nem que você conheça a vaca”, brinca o Dr. Bactéria. Prefira o leite pasteurizado (de caixinha). Esse processo elimina os germes. Esse tipo de leite não deve ser fervido. Quando isso ocorre, o cálcio se precipita, os nutrientes são destruídos e a gordura vira nata. Para saber até quanto o tempo deve ser aquecido, o Dr. Bactéria dá a dica: “Em fogo baixo, quando começar a girar uma fumacinha branca em cima do leite, conte quatro minutos e desligue”.

  • PREGADOR

Nada de usar pregador de roupa de madeira para fechar sacos de biscoito ou de outros alimentos. O mesmo pregador usado no varal e depois nas embalagens pode trazer bactérias para o alimento. Dr. Bactéria recomenda os arames que vêm nas embalagens de pão.

  • FISCALIZAÇÃO

Observe o banheiro do restaurante. Se eles não conseguem manter o banheiro limpo, também não mantêm a cozinha limpa. Berbara recomenda que as pessoas procurem a vigilância do município (2503-2280) para pedir fiscalização de supermecados, feiras e restaurantes.

  • PIOR EM CASA

“De acordo com as notificações, a maior parte das intoxicações acontece em casa. Isso se deve a hábitos que passam de mãe para filho e também pelas condições de moradia”, diz Berbara. Dr. Bactéria concorda: “Aproveite e denuncie a sua mãe!”.

 

Fonte: Jornal Extra

1 Comentário

  1. Ótimas dicas!! Gostei muito e do senso de humor também, rsrsrs.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Seu sono, sua saúde

Dormir na companhia de bilhões de ácaros é