A Crise dos Parentes
10 de abril de 2019
A Contemporaneidade da Ética e da Política
24 de abril de 2019

Dez dicas para combinar crianças e casamento

Filhos, casa, trabalho, saúde, aparência, dinheiro, gatos, cachorros… No nosso dia-a-dia corrido, somos obrigados a cuidar de tanta coisa, que a coisa mais fácil do mundo é a gente se distanciar do parceiro. “Afinal, ele (ou ela) já não é grandinho o bastante para tomar conta de si próprio?”, pensamos aliviados de poder descartar pelo menos isto da nossa lista de preocupações.

Mas a verdade é que dedicar energia ao seu parceiro não é só um compromisso a mais que você adiciona à sua já longa lista de “coisas para fazer”. Ao contrário, isto vai nutrir você e tornar a relação de vocês dois mais profunda e significativa.

Construir uma parceria mais amorosa começa com pequenas e simples mudanças de atitude:

1. Quando as crianças são pequenas, fica mesmo muito mais difícil nutrir a relação. Nestas horas, lembre-se sempre de que a parceria de vocês é de longo prazo. O tempo de curtir a vida a dois vai chegar sim.

2. Conversem, sempre, muito, honesta e diretamente. E-mails, bilhetes, mensagens na secretária telefônica, vale tudo.

3. Tirem a TV da vida e da frente de vocês – sem brincadeira. Vários casais que atendi contaram que quando conseguiram se livrar daquela rotina passiva dominada pela TV, finalmente passaram a prestar mais atenção um no outro. É verdade, o cotidiano da maioria dos casais é mais ou menos assim: as crianças finalmente dormiram; vocês estão exaustos e parece muito mais fácil vegetar diante do aparelho de televisão do que realmente tentar se relacionar com a pessoa que está ao seu lado. Mas acredite, seu casamento vai florescer se você usar estes momentos de quietude para simplesmente estar junto do seu parceiro, em vez de tentar arranjar distração na TV.

4. Se vocês já compartilham um hobby ou têm um interesse em comum considerem-se abençoados. Se não, arranjem um, rápido. E aí, consigam um tempo na agenda para fazer esta atividade juntos. Uma amiga da minha filha contou que ela sabe quando seus pais estão brigados um com o outro quando eles deixam de jogar tênis juntos.

5. Dedique um tempo na agenda para marcar “encontros” com seu parceiro para vocês discutirem objetivos comuns e sonhos. Não chame estes “encontros” de “tempinho” ou “namoro” ou “saída”. Quando o cotidiano aperta, parece muito mais fácil desmarcar uma “saidinha para espairecer” do que reagendar um “encontro” marcado e sacramentado nas agendas de um e outro.

6. Você lembra da emoção que sentiu quando viu seu parceiro pela primeira vez? Vamos, faça um esforço para recuperar aquela sensação de euforia que tomou conta de você quando deu de cara com aquela extraordinária criatura que acabava de encontrar. Alimente-se deste pensamento, sobretudo naqueles momentos chatos, como as filas intermináveis no banco ou as horas em que você fica preso no trânsito. Guarde este sentimento como um tesouro e use-o sempre que você precisar de uma “inspiração amorosa”.

7. Exercite a arte da tolerância. Meu marido, por exemplo, é um mestre nisto. Raramente ele me critica – e acredite-me, tenho uma porção de aspectos criticáveis. Se você precisar mesmo fazer uma crítica, faça-o com carinho.

8. Nenhuma família é perfeita e todas as famílias têm dificuldades. Talvez você tenha que lidar com coisas difíceis como ter parentes morando junto com vocês, dívidas sufocantes, doenças ou desemprego. Mas é durante estes tempos muito duros que vocês dois podem crescer, juntos. Seja cuidadoso com as acusações e seja sempre amoroso.

9. Mostrem aos seus filhos que vocês dois se apreciam e se respeitam. Pequenos elogios ajudam: Que delícia de café o papai fez, hein? Ou Vocês precisavam ver a mamãe correndo no parque hoje. Superou todos os seus tempos! Ou, ainda, “Que bom que você conseguiu chegar a tempo do jantar mesmo com o dia corrido que você teve!”

10. Se vocês são religiosos ou compartilham algum sentimento mais espiritual, que tal começar o dia com uma pequena prece? Na verdade, pode ser qualquer coisa, um movimento de reverência ou de agradecimento pelo dia que inicia. Se as manhãs são corridas, faça à noite. Conheço um casal que toda noite faz meditação junto. Segundo eles, é seu grande momento de “estar um com o outro” verdadeiramente, além de uma maneira harmoniosa e tranquilizadora de terminar o dia.

Mimi Doe – Mestre em educação fundadora do site Spiritual Parenting.com e também autora de diversos livros vencedores de diversos prêmios nos Estados Unidos.

Comentários