Família em primeiro lugar
25 de julho de 2018
Compreensão – O que os filhos esperam dos pais
1 de agosto de 2018

É possível o amor sem sexo?

Eventualmente o amor pode estar vinculado ao sexo, mas não necessariamente. O amor se manifesta de inúmeras formas e uma delas é quando acontece, junto, da atração física.

O mais comum é confundir a paixão com o amor e quando o tesão não está presente muitos acham que tudo acabou. Mas isto é um equívoco.

Pode ser que você esteja vivendo uma época difícil, de muito estresse e isto influencia a sua libido. Também pode acontecer do casal estar passando por uma época de conflitos, o que é previsível numa relação. E, enquanto não se resolvem os problemas, o desejo sexual fica comprometido.

Na época em que um casal tem um filho, quase toda a atenção se volta para a criança que está chegando e o que acontec,e quase sempre, é que nestes momentos o sexo fica raro.

Tudo isto não quer dizer que o amor se foi. E é preciso ter muita maturidade para ultrapassar estas fases.

Para alguns o casamento tradicional dá a segurança necessária para se sentir à vontade com o sexo e, para estes, quanto mais íntimo, maior o tesão. Mas, para muitos outros, essa situação de obrigatoriedade da presença do outro é extremamente broxante. Neste sentido o casamento nem sempre é a situação em que mais se faz sexo.

A falta de novidade, as picuinhas da vida em comum, a rotina do relacionamento leva os cônjuges a se sentirem como irmãozinhos. E isso é terrível. A sensação é que o amor ainda está vivo, há um bem-querer imenso, mas os dois não conseguem mais viver como homem-mulher.

E como ninguém é de ferro, bate a saudade dos tempos que você sentia a adrenalina da paixão, saudades dos beijos afoitos, da vontade de descobrir o mistério que o outro representava. O problema é que tem um lado nosso que quer se divertir, que gosta da aventura, que quer se sentir homem ou mulher.

O que fazer?

Alguns se abrem para novas conquistas, pulam a cerca ou terminam o relacionamento. E nem sempre têm a clareza de que qualquer que seja a relação sempre tenderá ao mesmo ponto.

Não é fácil, mas existe uma outra alternativa que exige muita criatividade. É a disposição para mudar. Neste outro caminho, os dois envolvidos decidem se renovar, empenham-se em novas atividades, fazem novos planos de vida, viagens: um reencontro consigo mesmo e com uma nova relação. Assim é possível rever o outro com outros olhos.

Volta a atração. Seu(sua) companheiro(a) volta a ser uma novidade. Mas lembre-se, esta é uma tarefa para se fazer a dois.

 

Sergio Savian

 

Comentários