Casamento íntimo: mais próximo, mais intenso
16 de maio de 2018
Viver junto à adolescência
6 de junho de 2018

Falando de sexo com seu filho

De repente você é surpreendido sobre uma pergunta de seu filho sobre um dos assuntos mais comuns e normais e menos comentados, pelo menos entre pais e filhos: sexo! O que dizer? O que falar?

Em primeiro lugar é bom esclarecer que cabe aos pais darem as primeiras orientações sobre sexo aos filhos. Portanto, deixe a vergonha de lado e procure desde já se inteirar sobre o tema, pois em um determinado momento você se verá diante desta pergunta tão natural e que nós tornamos tão difícil devido aos nossos medos, incertezas e preconceitos.

Para tanto, em primeiro lugar, deve-se encarar o sexo como algo normal e natural, assim como ele o é. A criança, o adolescente que recebe esta orientação não terá dúvidas quanto ao propósito do sexo, nem traumas nem ansiedades irreais quanto ao mesmo.

Utilize a fala e conhecimento. De acordo com a idade vários questionamentos poderão ser trazidos à tona. Lembre-se que são mentes em formação que precisam de orientações e é natural que surjam dúvidas ou divergências sobre o assunto. Não considere isso como uma provocação ou falta de respeito. A mente inquiridora do seu filho merece respostas claras e não imposições tão comuns e que surtam tão pouco efeito.

Promova um diálogo honesto, deixe-o falar e ele se sentirá aceito e compreendido. Além de ser falta de educação a interrupção, seu filho se retrairá e evitará a continuidade do tema e você terá perdido uma grande oportunidade não só de orientar em um assunto tão deturpado, mas também a relação de amizade e confiança ficará estremecida, seu filho evitará novos diálogos não somente sobre este tema mas de todos os outros mais que exijam confiança, consideração e respeito.

Não interrompa sua frase nem seus pensamentos, permita que ele se expresse. Após sua exposição, você pode rever os pontos sobre os quais você possui conhecimento, sane as dúvidas, dê orientações e conselhos precisos. Não minta, nem tente usar argumentos sem conteúdo quer lógicos ou científicos para justificar seu posicionamento. Caso se depare com alguma questão que não possua conhecimento ou lhe seja apresentado sobre uma questão que não tenha informação pertinente, seja sincero e diga que vai procurar conhecer melhor para responder. Isto o levará a se sentir digno, respeitado e amado. Utilize o acontecimento para estreitar a amizade e companheirismo, pesquisem sobre o assunto, considerem as soluções e juntos analisem os resultados.

Discorra sobre a anatomia, fisiologia do aparelho sexual, sobre o prazer provocado, e da necessidade de maturidade e as condições e consequências de um ato impensado provocado apenas pela curiosidade e pelo desejo inconsequente. Suas respostas o ajudarão a tomarem decisões conscientes, enfrentarão suas dúvidas e temores com firmeza e passarão esta fase com mais tranquilidade e controle e bem mais firmados em sua sexualidade.

Tudo bem exposto de forma amiga, sincera e franca, uma conversa entre amigos e não sobre imposição e ameaças. Lembre-se que de um lado tem uma mente em formação, ansiosa por aprender, curiosa em sua essência e que espera encontrar resposta sinceras, carinhosas e sem críticas as suas dúvidas e questionamentos.

Isto com certeza ajudará no estreitamento de amizade entre você e seu filho.

Comentários