Cuidados com a voz
11 de Abril de 2018
Deficiências da alma
11 de Abril de 2018

Finanças do casal: sem medo de falar em dinheiro

Infidelidade financeira. A expressão pode não ser a mais agradável mas conhecê-la e, principalmente, evitá-la, pode impedir que o casamento e a promessa de até que a morte nos separe sejam quebrados antes da hora.

De acordo com especialistas em finanças, o dinheiro está associado a brigas e desacordos e muitos evitam falar sobre esse assunto.

Na riqueza e na pobreza

Segundo pesquisa do Centro de Recursos Humanos da Universidade de Ohio, casais discutem por causa de dinheiro porque eles vêem de forma diferente a renda da família.

De acordo com o estudo, além de não responderem de forma correta quando perguntados sobre quanto o parceiro(a) ganha, enquanto os homens aumentam a renda da família, as mulheres acreditam que o casal tem uma dívida maior do que a reportada pelos seus maridos.

Para o autor do estudo, Jay Zagorsky, “a razão pela qual os casais reportam de maneira extremamente diferente os ganhos da família é porque cada um exagera nos próprios rendimentos e subestima os rendimentos do parceiro.”

Prometo ser fiel

Para ter sucesso nas finanças, o casal precisa, em primeiro lugar, entender essa diferença de pensamento. Estimando uma renda maior ou um endividamento acima do real, fica difícil, para ambos, planejar as finanças do casal.

Sinceridade, companheirismo e participação são essenciais nessas horas e o compartilhamento de informações é necessário para que a planilha de orçamento seja a mais verdadeira possível.

De nada adianta estimar um ganho maior se, no final, o salário acabar antes do tempo. Ou ainda evidenciar um débito exagerado que, muitas vezes, pode ser quitado sem grandes sacrifícios.

Por todos os dias de nossas vidas

Para começar a colocar ordem nas finanças do casal, o esperado é que ambos participem desta tarefa, controlando receita e despesa e priorizando objetivos. Portanto, a dica é rever gastos. Cortem da lista o que julgarem supérfluos e dividam as novas despesas, respeitando, é claro, a proporção entre os salários (quem ganha mais, paga mais).

Com a consciência do quanto é importante gerenciar o uso do dinheiro, o casal se torna mais unido aprende a conversar mais, planejar mais e manifestar suas opiniões.

 

Carlos Correia é amigos e colaborador do Cada Dia. Atua no setor RH e Financeiro e palestrante sobre finanças pessoais.

Comentários

Produzido por: SdMídia.com.br