Mães Multifuncionais – Elas são capazes de tudo!
1 de maio de 2019
A escolha da profissão
14 de maio de 2019

O que torna um Casal Feliz?

É difícil isolar os fatores que tornam um casal feliz. Mas como você reage com seu cônjuge em três áreas básicas e como seu parceiro reage com você determina o nível de felicidade. Essas áreas são: 1ª) Suas expectativas para o futuro; 2ª) modos de comunicação e 3ª) como tomam decisões e resolvem seus desacordos.

Expectativas. É importante que o casal exponha desde cedo suas expectativas no casamento. Quão bem marido e mulher se darão no futuro será determinado pela boa compreensão das expectativas e sua concordância antecipada sobre elas. Quando os esposos concordam entre si, podem confiantemente formular planos para o futuro, um fazendo determinado trabalho e o cônjuge realizando outro. No final, o casal colherá resultados mutuamente satisfatórios por causa dos esforços combinados. Se um deseja uma casa térrea e seu cônjuge um sobrado de estilo colonial, logo estarão se desentendendo.

Suas expectativas usualmente se centralizam em cinco áreas básicas: (a) como você quer ser tratado; (b) suas ideias sobre como seu cônjuge quer ser tratado; (c) quais, pensa você, são suas responsabilidades e direitos; (d) quais, você entende, são as responsabilidades e direitos de seu cônjuge; e (e) o que espera do casamento com o decorrer dos anos. Alguns casais jovens negam ter tais expectativas ou pensam que podem mudá-las para ajustar-se a qualquer situação que surgir. Mas as expectativas não podem ser alteradas tão facilmente. Elas se acumulam com os anos e se tornam parte intrínseca do casal. Mudá-las seria extremamente difícil. Suas expectativas fazem parte da vida do casal como o ato de respirar. Do mesmo modo que você não está consciente das ações de inalar e exalar, também não reconhece o quão profundamente suas expectativas estão arraigadas em seu íntimo. Quanto mais mudanças se fizerem necessárias, tanto mais difíceis serão elas. O casamento que requer o mínimo de mudança no que diz respeito a dinheiro, vida social e religião é o que mais probabilidade tem de ser bem-sucedido. O casamento que requer o máximo de mudanças entre pessoas de heranças culturais muito diferentes é o que tem maior probabilidade de fracassar.

É importante, então, clarificar todas as expectativas antes do casamento, discutindo-as aberta e honestamente. Se houver conflito, o casal precisará descobrir um meio de alterá-las, aceitá-las ou abandoná-las. A posição que alguns tomam nesse ponto — meu modo é a maneira certa de fazer as coisas – precisa ser descartada. Marido e mulher precisam reconhecer que há diversos modos de executar quaisquer tarefas. Obviamente, quanto mais claras as expectativas antes do casamento, menos esclarecimentos se farão necessários após ele. Qualquer que seja a tentativa, nunca será possível ao casal prevê-las todas. Muitos ajustes vão se seguir. Mas casamento é assim: tomar dois sistemas familiares diferentes de pensar, sentir e comportar-se e lutar para combiná-los num relacionamento harmonioso. Comunicação. Se você e seu cônjuge querem aprender como se darem bem, precisam desenvolver um sistema de comunicação de modo que cada um compreenda como o outro sente sobre cada questão. Idealmente, marido e mulher deviam ser capazes de discutir qualquer assunto de interesse ou preocupação para eles. Mas os casais descobrem depressa que certos assuntos criam medo, ansiedade, dúvida ou raiva. Contudo, quanto menos desses assuntos incluírem na discussão, tanto mais satisfatória sua comunicação será. Quando as emoções são submetidas à discussão, podem ser analisadas e vistas pelo que são: sentimentos. Sentimentos não são maus em si. Caracterizam-se por sua natureza passageira, e não seríamos humanos sem eles. A questão pertinente é: “É apropriado expressar estes sentimentos agora?”

Eis algumas diretrizes para expressar os sentimentos de modo adequado:

1. Falem sem raiva ou hostilidade. Baixem a voz em vez de levantá-la.
2. Sejam claros e específicos. Pensem ao falar, e digam claramente o que querem dizer.
3. Sejam positivos e apreciativos. Nada de buscarem faltas, culpar ou julgar.
4. Sejam corteses e respeitosos mesmo quando não concordem entre si.
5. Percebam as necessidades e sentimentos um do outro.

Agora algumas diretrizes para se tornarem bons ouvinte:

1. Demonstrem interesse um pelo outro. Mantenham bom contato visual e respondam com um sorriso ou meneio da cabeça.
2. Usem frases apropriadas para mostrar acordo, interesse ou compreensão.
3. Formulem bem perguntas que demostrem interesse e encorajamento para falar.
4. Quando pensarem que vocês acabaram de ouvir, ouçam 30 segundos mais. Recomendo que todos os recém-casados deixem de comprar um aparelho de TV durante seu primeiro ano de casados. A TV rouba-lhes horas que poderiam ser gastas em boa comunicação. Quando isso acontece, perde-se algo do relacionamento.É essencial que marido e mulher se harmonizem durante o primeiro ano, para formar um laço de intimidade através de boa comunicação.

Obtendo decisões e resolvendo desavenças. Antes do casamento, o par provavelmente não se imaginava resmungando e argumentando. Eles podem ter visto seus pais fazerem isso, mas provavelmente disseram que quando se casassem, nunca o fariam. E quanto mais jovem o casal é, mais teriam esperado resolver cada problema futuro de maneira alegre e gentil.

Todavia, ao entrarem na rotina da vida de casados, terão constantemente de tomar decisões concernentes às rotinas diárias e objetivos principais. Toda vez que tomam uma decisão, estão estabelecendo uma norma para o futuro. Em outras palavras, quando encontram de novo em situação de tomar a mesma decisão, não repetirão as negociações costumeiras. Provavelmente dependerão da resolução já feita.

Mas como as decisões devem ser feitas? Tomará um a decisão e tentará persuadir o outro? Um deles sempre terá de ceder? Recém-casados chocam-se às vezes ao descobrir que é absolutamente básico para seu relacionamento expressar seus sentimentos em voz alta ao tomarem uma decisão. A menos que cada um se exprima, nunca entenderão o porquê da discórdia e os sentimentos a ela atrelados.

Não é o desacordo, mas o precedente que estabelecem durante as primeiras semanas ou meses que é importante! Eis alguns pontos a ser lembrados:

1. Estejam prontos para discutir qualquer problema.
2. Tentem resolver diferenças sem concluir que um está certo e o outro errado.
3. Evitem explosões de raiva. Explodir raramente produz resultados positivos. Raiva quase sempre surge quando nossa estima própria é ameaçada. Em vez de raiva, quão melhor é reconhecer por que se está irado e procurar descobrir por que acha que precisa defender-se com tanta veemência. Ao passo que gestos românticos e palavras amorosas aumentam o depósito em seu banco de amor, explosões de ira o diminuem.

Vejam que sua conta não se esgote.

Nancy Van Pelt –  Profissional de vida familiar e escreveu 22 livros. Seu livro mais recente é Highly Effective Marriage.

O endereço da Sra. Van Pelt: 493 Timmy Avenue; Clovis, Califórnia 93612-0740; EUA.

E-mail: [email protected] Seu web site: heartnhome.com

Comentários