Monte seu kit S.O.S.
18 de julho de 2018
Direito
18 de julho de 2018

Odontologia na terceira idade

Smiling happy elderly couple in love outdoor

A ideia de que era quase impossível chegar à terceira idade ostentando um sorriso 100% natural mudou com a chegada de um grande aliado: o odontogeriatra – profissional especializado, responsável por acompanhar o processo de envelhecimento bucal do idoso e avaliar de que forma essas mudanças têm afetado a saúde desse grupo de pessoas.

De acordo com os especialistas, com o envelhecimento, os problemas variam desde casos críticos de pessoas com ausência total dos dentes até disfunções de glândulas salivares que, quando não tratadas, podem contribuir para que o paciente chegue nesta fase portando sérias complicações bucais, tais como xerostomia (boca seca) – responsável pela queimação ou mesmo por dores na mucosa bucal -, alterações menores do tecido mole (bochecha e gengiva) e disfagia – dificuldade de deglutição.

Com o passar do tempo, normalmente depois dos 60 anos, ocorre uma significativa mudança, sobretudo na musculatura facial, tornando-a mais flácida e afetando, assim, a mastigação, a articulação e, consequentemente, o paladar.

Por isso, é necessária a visita periódica ao odontogeriatra para que o paciente tenha uma vida mais saudável na terceira idade.

Para se chegar à terceira idade com dentes saudáveis, são necessárias algumas medidas preventivas:

· Não realizar extrações precoces, ao que tudo indica, é o melhor conselho que se pode dar a quem deseja manter-se saudável, do ponto de vista odontológico, na velhice.

· É importante alertar os pacientes com relação às próteses mal adaptadas e frouxas que podem causar lesões na cavidade oral. Nesses casos, os pacientes devem ser orientados a procurar um profissional para confecção de uma nova prótese.

· No caso de pacientes do sexo feminino com próteses frouxas, é importante orientá-las a procurar acompanhamento médico, porque pode ser um sinal de osteoporose – doença muito comum na mulher após a menopausa.

· Aplicação de gel em flúor-fosfato acidulado tem sido útil também para prevenir a sensibilidade dentinária comum nos dentes dos idosos.

· Com relação à secura na boca, o tratamento é difícil, mas consiste no uso de salivas artificiais, em contínuos goles de água e em mascar caramelos sem açúcar que podem ser usados para estimular o fluxo salivar. Essas medidas tornam os pacientes mais confortáveis.

Com relação à prevenção da cárie e da doença periodontal, devemos nos preocupar com:

Passos Para Uma Dentição Saudável:

1 – Motivar o idoso a realizar uma escovação correta dos dentes, usando escovas macias e escovas elétricas para pacientes que possuem algum grau de deficiência motora.

2 – Eficiente higienização de próteses, que, quando removíveis, devem ser limpas fora da boca, utilizando escovas especiais para limpar dentro do grampo ou limpadores de mamadeira adaptados, que preenchem igualmente esses requisitos por um custo muito mais acessível.

3 – Fluorterapia. Manter os níveis constantes de flúor na cavidade oral, através do uso de pastas de dentes com flúor e bochechos com soluções fluoretadas, promovendo assim uma redução significativa da cárie.

4 – Orientá-los quanto à necessidade da remoção noturna das próteses, pois estas são retentoras de placa e podem causar asfixia devido a um mal súbito durante o sono. As próteses devem ser colocadas em um copo com água e solução antisséptica.

5 – O uso de soluções para bochechos, principalmente à base de clorexidina, é de grande valia na higienização de pacientes com dificuldades motoras e impossibilitadas de se locomoverem.

6 – A visita ao dentista, principalmente ao especialista em periodontia, é fundamental e deve ser frequente para diagnosticar casos de gengivite ou periodontite.

8 – É de suma importância que qualquer percepção de mobilidade dentária, sangramento gengival, alteração na coloração ou no volume dos tecidos bucais seja comunicada ao odontologista. É essencial que os pacientes idosos tenham uma relação estreita com seu dentista, mantendo-o informado sobre toda medicação utilizada e sobre qualquer tratamento médico que possam estar fazendo.

 

Paulo Márcio Mendonça Moreira é Cirurgião Dentista

Revista Educar.

Comentários