TV – Ritmo frenético pode causar TDAH
16 de Maio de 2018
Casamento íntimo: mais próximo, mais intenso
16 de Maio de 2018

Perigo no lar

Nem sempre lar significa segurança. Estudos apontam que cerca de 75% dos acidentes com idosos ocorrem no ambiente doméstico e as quedas são as mais frequentes. Ferimentos com arma branca (facas de cozinha e ferramentas cortantes) e queimaduras também endossam as estatísticas. As causas, geralmente, são má iluminação, tapetes soltos, superfícies escorregadias e uso de sapatos inadequados, entre outros. Alterações nos sentidos visual e auditivo, osteoporose, além de patologias cardíacas e neurológicas, também são responsáveis por acidentes.

Tudo isso torna o idoso vulnerável tanto dentro quanto fora de casa. Para se ter uma ideia, os atropelamentos correspondem a 10% das mortes na terceira idade.

Diante desse quadro, é importante conversar com um médico sobre as possibilidades de mudança no ambiente doméstico. Abaixo, seguem dicas úteis que podem melhorar a qualidade de vida e evitar possíveis lesões. Lembre-se de que os acidentes também causam depressão, ansiedade, perda de independência, de autonomia, medo e hospitalizações.

Como prevenir acidentes domésticos:

– Mantenha-se ativo. A prática regular de exercícios físicos melhora sua autoestima, seu equilíbrio, sua força, normaliza sua pressão arterial e níveis de colesterol e glicose;

– Não pratique a automedicação. Lembre-se de que pessoas idosas são mais sensíveis aos medicamentos e mais suscetíveis aos efeitos colaterais. O remédio que fez bem ao seu vizinho poderá fazer muito mal a você;

– Use sapatos com solado antiderrapante ou tênis. Evite o uso de chinelos ou andar de meias;

– Mantenha sua casa livre de obstáculos nos locais de circulação, principalmente entre o quarto e o banheiro. Caso haja dificuldade visual, disponha de iluminação baixa neste trajeto;

– A iluminação deve ser adequada em todos os cômodos;

– Na presença de escadas em sua casa, esta deve estar sempre bem iluminada, sem objetos no seu caminho, ter piso antiderrapante e corrimões bilaterais;

– Evite tapetes soltos. Observe se ele possui forro antiderrapante ou se há possibilidade de fixá-lo;

– Fixe os fios soltos às paredes;

– Dê preferência a pavimentos antiderrapantes. Caso possua chão de madeira, evite o uso de polimento ou cera;

– Coloque barras de apoio ao lado do vaso sanitário e no chuveiro. Lembre-se de que as lajotas são superfícies extremamente escorregadias. Por isso, utilize tapetes de borracha antiderrapantes nas áreas de uso neste local. Use também uma cadeira no Box para ensaboar-se e enxaguar-se;

– Cuidado extra em locais de pavimentação desconhecida. Calçadas, ruas, praças, ou mesmo no seu quintal e jardim. Locais sem pavimentação sofrem desnivelamento diário por ação dos ventos e das chuvas;

– Se estiver só, não hesite em pedir ajuda para subir / descer de um ônibus ou atravessar a rua;

– Considere o uso de bengala ou andador com indicação de seu médico. Lembre-se que tudo aquilo que lhe deixa mais independente deve ser aceito positivamente;

– Tenha sempre à mão os números de telefone dos serviços de emergência disponíveis em sua cidade. Eles poderão ser úteis um dia;

– Traga sempre junto de seus pertences uma placa de identificação contendo seu nome, endereço, telefone e nome das medicações que você utiliza. Escreva também nome e telefone de algum parente ou amigo próximo que possa ajudar você no caso de um acidente fora de casa;

– Evite levantar-se da cama rapidamente. Faça isso após permanecer alguns minutos em repouso;

– Não use chaves nas portas internas de sua casa;

– Antes de dormir, certifique-se de que o registro do gás está desligado;

– Caso utilize bolsa de água quente, verifique se está bem fechada. Envolva a mesma com uma toalha antes de aplicá-la em seu corpo.

 

Roberta da Silva é médica em especialização em Geriatria da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

Comentários

Produzido por: SdMídia.com.br