Deus do comum
7 de novembro de 2018
Segurança no Matrimônio
14 de novembro de 2018

Todos os meus dias…

Nem a tristeza, nem a desilusão, nem a incerteza,
nem a solidão, nada me impedirá de sorrir.

Nem o medo, nem a depressão,
por mais que sofra meu coração,
nada me impedirá de sonhar.

Nem o desespero, nem a descrença,
muito menos o ódio ou alguma ofensa,
nada me impedirá de viver.

Em meio as trevas, entre os espinhos,
nas tempestades e nos descaminhos,
nada me impedirá de crer em Deus.

Mesmo errando e aprendendo,
tudo me será favorável, tudo me será necessário,
para que eu possa sempre preservar,
servir, cantar, agradecer, perdoar, recomeçar.

Quero viver o dia de hoje
como se fosse o primeiro, como se fosse o
último, como se fosse o único.

Quero viver o momento de agora
como se ainda fosse cedo, como se
nunca fosse tarde.

Quero manter o meu otimismo,
conservar o meu equilíbrio, fortalecer
a minha esperança, recompor as minhas energias,
para prosperar na minha
missão e viver alegre todos os dias.

Quero caminhar na certeza de chegar,
quero buscar na certeza de alcançar,
quero lutar na certeza de vencer,
quero saber esperar para poder
realizar os ideais do meu ser.

Enfim, quero dar o máximo de mim,
para viver intensamente e
maravilhosamente todos os dias da minha vida. 

 

Débora Rocha – Biblioteconomista

Comentários